Terceirização com dias contados

Terceirização com dias contados

A pressão contra os maus serviços de terceirização de mão de obra e os riscos causados por esse tipo de relação de trabalho em inúmeros setores e, em especial, em condomínios, está se tornando insustentável e a tendência caminha para a regulamentação.

Em Brasília, alguns parlamentares apresentam Projetos de Lei em busca de alternativas para resolver a questão e para acompanhar os trabalhos no Congresso Nacional; o presidente do Sindifícios, Paulo Ferrari, tem viajado ao Distrito Federal constantemente para reunir-se com parlamentares e acompanhar as comissões que tratam da regularização da terceirização.
Dos Projetos de Lei tramitam por Brasília, o mais próximo dos trabalhadores em edifícios está sendo relatado pelo deputado federal Roberto Santiago, pessoa que tem se mostrado muito acessível e disposto a acabar com os problemas que a terceirização tem causado nos condomínios, tanto que instalou uma Comissão Especial para tratar da questão da terceirização na Câmara dos Deputados.

Na última semana de junho, Paulo Ferrari esteve em Brasília e entregou ao relator Roberto Santiago um dossiê detalhando a realidade enfrentada pelos edifícios. Na ocasião estiveram presentes representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios (Fenatec) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios (Conatec). A reunião ocorreu no gabinete da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara.

“O meu papel, como representante desta categoria, foi registrar com esse documento nossa preocupação com a falta de segurança, a precarização do contrato de trabalho, a redução de salários e demais direitos sociais conquistados pela categoria”, afirmou Paulo Ferrari.

Outro representante da categoria é o presidente da Força Sindical e deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, pessoa com que Paulo Ferrari tem bom relacionamento e já conseguiu audiência pública com ele para tratar do tema. “O trabalho que estou desenvolvendo é para garantir que tenhamos resultados positivos em breve, resolvendo esse grande mal que tem prejudicado nossa categoria”, afirma Paulo Ferrari.